Que tal seguir este blog?

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

A Volta da Rede da Carne (HQ)


 Tá rolando o projeto "A volta da Rede da Carne" HQ nacional. Abordando o tema de terror. Fans e aficionados que já estão há um bom tempo sem ler uma HQ de terror, vale muito a pena contribuir com o projeto e torná-lo realidade e ainda ter o seu nome nos créditos da HQ. Saiba mais acessando o link: "A Volta da Rede da Carne"       

sábado, 2 de setembro de 2017

David Beat - Agridoce (LP)


   Agridoce é o mais novo registro do ilustrador David Beat. Depois de dá um alô com seu Ep de estréia de nome “Experimental Pop”, o novo registro continua mantendo a mesma estética por assim dizer de músicas curtas ou quase inacabadas, apenas três faixas ultrapassam a marca de um minuto: John, Insensibilidade e Doçuras.

 O álbum é dividido entre o amargo e doce. Canções de existencialismo, sentimentos de amor, solidão, abandono e pensamentos de suicídio, vide faixa “Gatilho”: “…Eu só queria ter uma arma e apertar o gatilho duas vezes…”. E um toque sentimental nas faixas Insensibilidade e Doçuras: “…O encontro é forte / e a saudade vai ficar / quando você for embora, mas espero se você voltar”, trecho da música Doçuras.
  
  Segundo o Beat: “Fiz uma mixagem que funciona melhor com fones de ouvido, é a melhor forma de ouvir esses sons. Se você tentar ouvir isso através do alto falante do seu som, provavelmente muitas baixas frequências vão se perder no caminho, para uma melhor experiência use fones.”
  
  Confira o novo registro no davidbeat.bandcamp.com
Existe um Bônus (encarte com as letras) se você baixar o álbum. E para baixar basta clicar em “Buy now” e colocar “00000” na caixa de price.

          É isso, é D.I.Y                            

domingo, 27 de agosto de 2017

Som do Som resenhas e Álbuns para baixar.

                                                           Foto: print da net

  O site Som do Som, fez uma resenha do EP “Experimental Pop”. Primeiro registro de David Beat, no qual o ilustrador procurou experimentar com sonoridades. Colagens de sons, pianos desacelerados, chocalho improvisado com arroz, ruídos, músicas que não ultrapassam 1 minuto e “a forma que esses sons foram gravados, utilizei minha máquina de fotos portátil PL20 Samsung para captar o som ao invés de um mic.”
   
  O Som do Som deixou em seu site um catálogo com as resenhas dos álbuns para baixar. De uma conferida no link e descubra novos sons. D.I.Y!                  

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Bruno Consul EP Oranges


   Certamente você ainda não ouviu falar em Bruno Consul e não, ele não está na TV e nem em uma revista de massa. Filho do underground, navegando na praia lo-fi e mostrando que é possível sim, colocar a mão na massa e fazer acontecer.  
  
   Enquanto o projeto com sua banda Mild Vampire não dá as caras, Bruno num surto de criatividade se lança de cabeça para um mergulho certo na cultura DIY para mostrar 6 faixas de seu projeto solo.
  
  Criatividade e sensibilidade permeia toda as 6 faixas do “EP Oranges” que  acaba de sair do forno para plataforma digital Bandcamp. Todas as faixas composta por Bruno Consul em inglês, gravado em casa.
  
   O EP é bem curtinho, uma espécie de “Olá” para o que está por vir após. Um flerte com garage rock e Ty Segall. Dê o Play e deixe no repeat!   


                                                       DIY você também!

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Catzine #2


     Catzine #2 – Zine elaborado por FafáJaepelt, sim… isso mesmo! Esposa de Hery Jaepelt. Catzine como o próprio nome sugere é um zine que aborda os felinos como fonte de inspiração. O zine tá bem bonito com sua capa laranja florescente; ilustradores e quadrinhos com uma pegada própria. E de quebra nesse número veio um marcador de página personalizado. É esperar por mais surpresas no próximo!               

     Contato: 
     mariehpelt@gmail.com 
     Instagram - Fafapelts    

domingo, 11 de junho de 2017

Zine Tanto Coletivo #01

                                                             Foto por Lê Almeida

Tanto Coletivo – É um grupo dedicado aos estudos da colagem, em seus diversos e amplos modos. Formado em 2016, por João Casaes, Ludmila Zeger, Lê Almeida e Luiza Benazzi, o grupo ministra oficinas de colagem e desenvolve capas e pôsteres de disco para a Transfusão Noise Records.
  
  A jornada começou com o Grupo ministrando sua primeira oficina em Novembro de 2016 durante o evento “Transfusão Noise Festival” no Oi Futuro de Ipanema / RJ. Em Março de 2017, o Coletivo impulsionado com o primeiro passo, promove no Despina, galeria de Artes baseada no centro do Rio, mais uma oficina que foi dividida em 4 blocos com duração de 3 horas cada um deles. A cada um dos blocos foi apresentado o conceito de colagem, exercícios práticos e manuais, com os quais, cada participante de cada bloco pôde desenvolver sua própria colagem. Ao termino do curso ministrado, uma apresentação com as colagens produzidas foi para o mural da Galeria.

  Com as oficinas de colagens sendo ministrada, o grupo aproveitou os bons mares, e decidiu lançar o zine Tanto Coletivo. Abordando em seu conteúdo 5 Métodos, uma espécie de guia dos primeiros passos, para os aficionados ou interessados por colagens.
  
  Ontem (10/06/17) rolou o lançamento oficial do zine com banca pra venda e uma oficina aberta para quem quisesse se aventurar pelos caminhos das colagens. Em breve tem mais oficinas, é ficar ligado nos canais de comunicação e não marcar sopa fria.      
  
  O zine tá bem bonito com uma capa em risografia, 20 páginas P&B, formato 14x18,5 e miolo das páginas é costurado, completando como uma cereja o bolo.
     
      Acesse a página do TANTO COLETIVO
    
  O Zine ta saindo pelo preço módico de R$ 10,00 pilas que é pra roda continuar girando.
  
  Para adquirir um exemplar: tantocoletivo@gmail.com ou através da page Transfução Noise Records     
         
  É isso “broda e broders”! Apóie a cultura independente!  

domingo, 4 de junho de 2017

Jazz Para Rinocerontes (Poesia)



   Delírios, drogas psicotrópicas, alucinações imagéticas, perda da sanidade, mergulho no caos interior, metáforas, palavras nuas cheias de oculto. Jazz para Rinocerontes é um submergir profundo entre realidade e distopia. O autor dialoga com seu tempo, tecendo seus poemas de forma simbólica e por vezes indecifráveis jogos de palavras cheias de esquizofrenia, uma esquizofrenia poética/imagética para se fazer refletir, e ou serem lidas num domingo morto em forma de catarse: “O tempo leva meus fios de cabelos / E ainda são oito horas da manhã…”, (Erros nas Rachaduras). 

  O poeta vai lapidando suas palavras, cuspindo cada verso, deixando pequenas pistas e referenciais: William Burrough, Kafka, Amanda Feilding, Ginsberg.

  Todos os sentidos despertos: “Joguei todas as flores artificiais pela janela/ queria vida no vaso” em (Flores Artificiais).

   Paulo Monteiro nasceu em Manaus (onde continua a residir), é zineiro, poeta, músico e outras coisas mais que a vida o possibilitar.      

 Pra adquirir um exemplar: Editora Moinhos 
 para conhecer e dialogar com o autor: Paulo Monteiro 


        Apoie a cultura independente! D.I.Y!   

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Mild Vampire


     Pense em uma banda com uma rapaziada nova e cheia de energia, Mild Vampire. Banda de Sampa formada por Bruno Consul (vocal-guitar), Gabriel Javles Gomes o “Boto” (guitar apoio), Gustavo Arnaut (batera) e Denner (baixista). Recente a banda se apresentou no QG da Transfusão Noise Records, selo independente formado pelo músico do Low-fi LÊ Almeida.  A banda ainda está no embrião, tendo no atual momento 5 faixas que entrarão no seu EP de estréia que vai se chamar “Magnifier” nome homônimo de uma das faixas.

    A banda pretende lançar seu EP pelo selo da Transfusão e aproveitou sua breve passagem pelo Rio para dá início a pré-gravação, dentro em breve deve sair do forno. Rock garage, low-fi e poderoso cheio das energias.

   Bruno Consul mais parece o Graham Coxon com uma aparência mais nova. Mas quando você ouve a faixa “All My Friends”, um que de Ty Segall nos vem na mente com força total. A banda tá no caminho certo, fazendo um som próprio e com ótimas influências.

      Enquanto o EP não dá as caras, fica aqui as duas faixas disponibilizadas e gravadas de forma D.I.Y por Bruno Consul em seu quarto.
                                           
                                mildvampire.bandcamp.com

Apóie a cena independente!

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Zine David Beat - Jigoku Luz e Sombra



        Acaba de sair do forno o mais recente zine do David Beat. O zine é o 9° lançamento e se chama: Jigoku – Luz e Sombra. David Beat decidiu agregar novas experiências de diagramação, fazendo com que o zine venha a ser diferente dos anteriores. Textos e ilustra e desenhos mais recentes que estavam sendo postados na page. O zine está bem bonito, com uma capa Azul Royal gramatura 120, 20 páginas, formato A5.
      O lançamento oficial vai ser na Feira Tijuana que acontece no mês de Maio entre os dias 6 e 7.
                                                                   É isso D.I.Y           

quinta-feira, 23 de março de 2017

Dicotomia - Simbiose (EP)

                                                                Arte por David Beat


    DICOTOMIA é o nome da banda formada pelo duo Leonardo Maciel e Rafael Fernandes. Saiu hoje o EP de estréia da band, de nome “Simbiose” contendo 6 músicas. Com pegadas de guitar, riffs e ocasionais noises. Notei certo ar californiano, mas conversando com um dos integrantes sobre influências e inspirações para as canções, rolou citações a “Dinousaur Jr., Kiss e Joy Division”. O EP abre com “Tudo na vida é um meme em potencial” que é uma faixa instrumental lembrando muito as bands de surf music. Depois tem um passeio pela faixa “Erros no balcão do bar”, um grito sobre rejeição, numa pegada de guitarra com pulso forte e bateria sincopada. Um toque existencialista na quarta faixa Maggie “…reclama mais não sabe viver / Esqueceu que amar não é apenas sofrer”. Endorfina é outra faixa instrumental com uma base bem Hard Rock. O EP fecha com “Primeiro de Agosto”, voltando mais uma vez com uma bateria com um ritmo quebrado e sincopado e guitar bem insistente preenchendo camadas.
     
     Lançado de forma totalmente independente, o duo fez tudo em casa. Todo o processo de gravação, mixagem e master entre Agosto de 2016  e Março de 2017.
   
    Com esse EP Leonardo Maciel e Rafael Fernandes mostram que ainda existe um longo caminho pela frente para ser trilhado, seja em duo ou com uma formação maior no futuro, o que importa é seguir e continuar fazendo o que se gosta, música.

    Para capa do EP eles convidaram  o artista e ilustrador solo David Beat, que fez uma capa com base no próprio nome da banda e título do EP.
     Para ouvir ou baixar o EP segue aqui estes links : 

Dicotomia – Simbiose(EP). Youtube
                                                                                  
Dicotomia – Simbiose(EP). soundcloud
                                                           
                                                                É isso! D.I.Y !                             

quarta-feira, 22 de março de 2017

Zine\Revista Pulha

                                                            Revista\zine #1 e #2  

      Tempos não recebia material com um teor surrealista. Se um dia você pegar um exemplar da Pulha vai se deparar com as histórias em quadrinhos das mais inusitadas. Seu autor Lad’s Art Pépe parece ter tomados todos os ácidos possíveis e se inspirando em sua própria viagem, vai construindo imagens subversivas, sarcasmos e ironia. A palavra “viagem” já aparece logo no primeiro quadrinho de nome “Joe Trucker - Viagem a lua Minguante” em outro quadrinho temos “O Viajante – Uma grande descoberta da humanidade?”. Destaque para o quadrinho “Tommy Raider – Um tesouro de Ácidos” que não termina nem no primeiro e nem no segundo exemplar (eu sei que é spoiler), o que fica o gosto de quero mais. O zine traz ainda entrevista e outras histórias inusitadas de humor negro.  O Terceiro exemplar já está em andamento segundo fontes convincentes.
   
     O que é Pulha? É uma revista, zine. Na page da Pulha encontramos a seguinte informação para mais esclarecimentos:
     Seguindo sem rumo, inspirado em nomes como MAD, Niquel Nausea, Angeli, Pancada, Casseta Popular, Laerte e por aí afora...

Significados de Pulha:

1. Pulha

S.f. Gracejo caviloso.
Peta, mentira.
Dito chulo.
Ignomínia, vergonha.
-- S.m. Homem sem dignidade, sem brio; patife.
-- Adj. Relaxado, desmazelado.
-- Na Internet uma pulha é uma história que é apresentada como se verdadeira fosse, com argumentação aparentemente coerente, contando uma história com começo, meio e fim, que embora meio esquisita pode até fazer algum sentido, mas que é completamente inventada.

"O mundo das lendas e pulhas virtuais da Internet é vasto e curioso."
 
 A Pulha é em formato A4 (revista), custa apenas R$ 3,50. Muita diversão e “sacação”.
   
             Acesse os links e entre em contato com o autor, compre ou faça escambo! 
    
                                    É isso! Apóie a cultura independente!                 

terça-feira, 21 de março de 2017

EP - Experimental Pop

                                                            Art photo: Ludmila Zeger

     Se existe um playground David Beat “parece” está brincando nele. Acaba de sair seu EP “Experimental Pop”. O EP contém 6 faixas composta pelo próprio com exatos 7 minutos totais. Descompromisso e um certo grau de infantilidade permeia todo EP. “Todas essas faixas foram compostas em meu quarto, acompanhado de um violão, sentimento de solidão e tédio e um pouco de amor. Construir esse EP me fez perceber um monte de coisas, aprendi um monte com todo o processo. As faixas composta são meio que um exorcismo de sentimentos. Talvez as pessoas não percebam, mas estão ali de forma meio transparente e velada, sentimentos de abandono e insensibilidade. Estamos cercados de amigos, mas no final morreremos sozinhos. Estamos sozinhos nesse mundo essa é a verdade.
       Pense em Daniel Johnston e toda aquela criatividade, Syd Barret e contos de fadas, Beatles e músicas fofinhas e sem inocência, tudo isso me acompanhou ao longo do processo. Você precisa ouvir Lennon cantando Mother.”
    
       A Arte de capa ficou por conta da artista colagista Ludmila, por quem nutro maior carinho e respeito neste mundo. E você pode conferir mais de suas artes na page: LUDZEG

      Meu obrigado a João Casaes pela Master. Sei que foi difícil mexer com água suja. E meu obrigado para as bandas e songwriters: Jackson Scott, Tony Molina, Alex G. Merci!   

domingo, 12 de março de 2017

Pipi Pum ( Um Diário ilustrado de pais de primeira viagem)


       Recente num evento da Transfusão Noise Records no Rio de Janeiro, fiz contato com um casal de ilustradores que me perguntaram seu eu também era ilustrador, como sou modesto eu disse: “Eu desenho”. Então eles me passaram um cartão de visita bem massa contendo informação referente ao site no qual eles administram. Quando cheguei em casa e fui dá um confere no site que estava no cartão: PipiPum.
       Com o lema “Um diário ilustrado de pais de primeira viagem”, o casal Filipe Aviz e Suzani Figueira abordam em seu site de forma divertida e ilustrada, dicas diversas sobre bebês. Algo bem legal do site, além de ser convidativo e confortável é o espaço de nome CATEGORIA contendo uma lista de dicas referente à: Alimentação, amamentação, gravidez, maternidade e etc. E  também tem a parte de produtos Pipi Pum, com canecas estilizadas contendo as ilustrações do casal.
      
      Este site é uma ótima dica para casais que já tenham filhos ou que pretendem ter. Entre em contato nem que seja por curiosidade e fique por dentro dessas dicas cheias de amor do casal.

facebook.com/familiapipipum

quinta-feira, 9 de março de 2017

Canção Doce e Amiga (Single)

Art by David Beat

David Beat lançou ontem dia da Mulher (Dia da Mulher são todos os dias), um single cheio de açúcar. Faixa composta originalmente em 19 de Maio de 2016. A primeira versão é apenas violão e voz. Essa versão do single com bateria, foi gravada no Rio de Janeiro ainda em 2016 pelo selo T.N.R. “Parece ser uma faixa bobinha, mas é algo especial. Essa faixa compus pensando em uma amiga que mora distante e mantemos um contato virtual. A música aborda uma mensagem de conforto. Acho que dentro em breve sai um EP.”      

                   Enquanto o EP não sai dê uma confere aí na faixa: Canção doce e amiga             

sexta-feira, 3 de março de 2017

Zine Ciclomagens (on line)


O 8° Zine publicado por David Beat já se encontra disponível para visualização on line. Dê um check it out!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Low-fi é D.I.Y!

   O Ilustrador underground David Beat, tem aproveitado o hiato com que não lança suas  ilustrações  para se aventurar em experimentos sonoros. Gravando de forma caseira e com pouquíssimos recursos e se valendo de alguns programas. Segundo o ilustrador: tenho algumas canções (todas curtinhas) que gravei só na voz e violão, e no momento estou aprendendo sobre mixagem e outros lances. Minha pretensão é lançar um EP, com pelo menos 6 faixas todas sobrecarregadas de efeitos.”           
    E sobre influências? Tenho escutado bastante Jackson Scott, Tony Molina, Alex G. e um monte de coisas low-fizeira!”          
    Recente fez uma conta no Bandcamp e upou um song  para quem quiser conferir o que está porvir. .  vai lá e curte enquanto o EP não sai. 

                                                BANDCAMP DAVID BEAT 

domingo, 29 de janeiro de 2017

Arte, mandalas e poesias!

                                                       Mandalas (produzidas por Hugo) 


    Recente entrei em contato com uma persona que atende pelo nome de Hugo Wolf. Poeta, músico, artesão e outras atividades cósmicas estão no caminho trilhado pelo “Mr. Mojo Risin”, alcunha imputado ao próprio devido à paixão pela banda The Doors.  Jim Morrison usou este nome em uma das suas canções (L.A Woman), um anagrama derivado a partir de seu próprio nome.
    
  Conversei com o poeta cósmico, comentando a possibilidade que mais pessoas pudessem entrar em contato com o que o mesmo anda produzindo. Hugo está com um projeto de captar recursos para lançar seu primeiro livro de poesia que vai se chamar “Conexão Cósmica”. Segue as palavras do próprio:         

    “De artista e louco todo mundo tem um pouco, na tentativa de sobreviver a esse caos urbano em que estamos submersos, onde os fantasmas como o desemprego, a falta de segurança e a obrigação de ser bem sucedido em meio a essa sociedade nos tiram as noites de sono. Pensando em tudo isso e mais um pouco o Artista Hugo Wolf resolveu buscar na sua loucura a solução para seus problemas, o escritor que guarda em seu subconsciente romances, blues e poemas resolveu criar um projeto chamado "MANDALAR" em parceria com sua amiga @juliana roma com quem aprendeu e desenvolveu essa arte das Mandalas produzida pelos antigos Maias, a quem chamavam de "Olhos de Deus", acreditavam que o artefato atraia positivas vibrações e prosperidade pro ambiente em que se encontram. Quem quiser descobrir mais sobre esse projeto estará ajudando a artistas independentes continuarem com sua arte.”
     
          

A arte não sai de qualquer pessoa
 Só pode sentir a arte quem conviveu com a dor
 Só quem a sentiu como se fosse arrancar seus ossos
 E ainda assim conseguiu sair ileso
 A arte não é para os fracos
 É pra quem faz o que quer independente das consequências
 A arte é pra quem tem liberdade o suficiente
 Pra apontar pro infinito e pisar fundo na emoção
 Ahhh, a arte é pra quem tem muito tesão
 pra quem é selvagem quando o assunto é coração
 A arte foi o presente deixado pra falarmos com os Deuses 
A arte foi o presente deixado para os loucos
                                         
                                                           (Artista Hugo Wolf)

 É o que tenho dito sempre: apoie os independentes. Os links para contato da page e com o autor estão no corpo do texto é só clicar conhecer e contribuir da melhor forma possível. é isso! Arte!     

         

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Zines Zines Zines !!!

Img. internet

  
    Zines, zines, zines por toda parte! E o que é zine? Qual a proposta? Como se faz? Como conseguir? Se você ainda não é familiarizado com a cultura zineira, faça uma pesquisa e descubra! Tenho certeza que a experiência será libertadora. 

   Em plena era moderna ainda existem pessoas que produzem esse material? Sim. Um zine construído e propagado é uma forma de rebelar-se contra os padrões preestabelecidos do meio midiático e editoras que cobram valores exorbitantes para que o seu material seja veiculado. Você é seu próprio editor, sem censura para seus pensamentos. Você cria um networking com pessoas que pensam de forma livre; você propicia os meios para autogerir-se.

     Existem zines que são distribuídos gratuitamente, e aqueles que o autor cobra um valor ínfimo para que o mesmo tenha continuidade. Lembrando: o zine é feito de forma independente, ficando a cargo de o autor gerar os meios que vai fazer com que seu zine seja veiculado. O valor cobrado é uma forma de o zine continuar circulando.

       Eu mesmo tenho diversos zines , alguns eu comprei, outros eu recebi ou fiz escambo.

      Uma das pessoas que continua na ativa com a cultura zineira é o amigo Fabio da Silva Barbosa, responsável pelo excelente Reboco Caído Zine, livros e muita informação. Entre em contato conheça e contribua como puder para que a informação continue sendo propagada.

Links para acesso e contato:







                                      Pacotão de zines e materiais
                                        fsb1975@yahoo.com.br

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Sono de Armação (projeto longa-metragem)

A cultura do "Faça você mesmo" não para e nem poderia. O cinema que vem evoluindo desde os primórdios, é algo tão onipresente hoje em dia, e ultrapassa o modus operandi de: "apenas entretenimento". E apesar de existir vertentes diferenciando o cinema especializado do cinema underground, ambos apontam para o mesmo caminho, enquanto arte. 
   Recente um grupo de amigos que são apaixonados por cinema, entraram com um projeto junto ao catarse para financiar (sem fins lucrativos) o projeto de longa-metragem independente Sono de Armação
    Segue uma pequena sinopse:
   Sono da Armação é um longa-metragem de ficção independente. Vivemos desde a infância em Búzios, de onde partimos para fazer faculdade, um caminho tomado por parte considerável de nossos amigos. Há, no entanto, aqueles que ficam ou voltam para lá, alguns de férias, outros para morar. Parte dos personagens serão interpretados por esses amigos, ainda moradores ou não, cujas experiências permearão a construção narrativa. Nesse sentido, a volta para a península através da ficção vem mais como um disparador de percepções outras da cidade do que com viés saudosista. O sonho enquanto um elo possível de sentimentos com a cidade, dos mais particulares àqueles que escapam à nossa vivência.

    Se você que está lendo este post se interessa, mesmo que o mínimo por cinema e queira contribuir visite o site do Catarse  e se informe sobre a proposta. Compartilhem para que mais pessoas possam está tendo a oportunidade de ler este post. Será de grande ajuda! Obrigado desde já.                                                       

Links: Sono da Armação (Catarse)
               Sono da Armação (Page facebook)  

                                           É isso, apoie a cultura independente !


                                               
                                   


Teaser Sono da Armação from osso osso on Vimeo.